diHITT - Notícias Encontre-nos no Google+ New Family Belles: Maio 2012

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Boda de papel !!!!! 1º aniversário de Casamento


Hoje estamos comemorando um dia muito especial... 

Daqueles que nunca se esquece...
Nunca se apaga da memória...




o 1º aniversário do nosso casamento.

Muitas dificuldades enfrentamos na vida...
Muitas lutas vencemos e ainda iremos vencer juntos;


Nosso amor, carinho, perseverança...



é preciso ter muita coragem para vencer tudo...

E neste dia bonito e alegre,
que comemoramos nosso 1º aniversário de casamento,
queremos tudo de mais lindo em nossas vidas.



E com certeza nosso casamento irá durar por muitas eternidades rsrrsrs
Sol & Lua..... eterno amor....

Nossa Bodas de Papel !!!!!!!!!!!!!


terça-feira, 15 de maio de 2012

O Rei do Futebol !!!!!

Conheça a História do REI !


Em Bauru (interior de São Paulo) o pequeno Edson Arantes do Nascimento, chamado de "Dico" pelos pais, então com seis anos de idade, começa a despertar a atenção de quem o via brincando de bola na rua. Desde o quintal de sua casa, em que colhia da laranjeira a bola para treinar suas embaixadas, e desfilava habilidosos dribles em adversários imaginários; onde estivesse ocorrendo uma pelada certamente se encontraria o filho de seu Dondinho sendo disputado na escalação dos times.

Depois de ter sido ídolo do "7 de setembro", levando já uma considerável torcida aos campos de terra, Pelé vestiu sua primeira camisa de time, quando passou a jogar pelo Ameriquinha, aos 12 anos de idade. Chegou a atuar ainda em outras equipes como Canto do Rio, São Paulinho de Curuçá, Radium e Baquinho.

As peladas de Bauru passaram a ser disputadas com uma preocupação a mais, marcar Pelé. A maestria de seus dribles e a sua já espantosa visão de jogo levavam os adversários ao desespero e os torcedores ao delírio.

Mas foi no Bauru Atlético Clube, o Baquinho, que Pelé teve seu talento levado a sério. Com o projeto de formar uma equipe infanto-juvenil para revelar novos talentos, o clube trouxe o ex-craque da Seleção Brasileira (1934), Waldemar de Brito. No último jogo de Pelé no Baquinho, seu time aplicaria uma histórica goleada de 12 x 1 no Flamenguinho. Neste jogo, que foi preliminar da final do Campeonato (2º Divisão) em 1954, o pequeno gênio faria 7 gols e acabaria nos noticiários de São Paulo, já como promessa de craque.

Foi o suficiente para que o experiente Waldemar de Brito perceber o nascimento de um fenômeno do futebol. O clube recebia uma proposta do Noroeste, também de Bauru, mas Waldemar sabia que a luz do futuro Rei do Futebol deveria brilhar em uma equipe de maior expressão nacional e possibilidade de mostrar ao resto do mundo a rara habilidade. Mesmo com os protestos de Dona Celeste, o ex-treinador do já extinto Baquinho embarca em um trem direto para o litoral do Estado.


No dia 8 de agosto de 1956 foi apresentado ao glorioso Santos Futebol Clube aquele que viria a ser o maior craque de sua história e o maior jogador de futebol que o mundo já viu. Edson Arantes do Nascimento, Pelé, assinou o contrato com a equipe enquanto Waldemar de Brito declarou ao então presidente do clube, Athiê Couri, que "este é o garoto que vai ser o maior jogador do mundo". E foi!

Em sua carreira brilhante, Pelé conseguiu bater todos os recordes. Confira alguns números da carreira do Rei do Futebol:

- 60 títulos.- 1.279 gols, 1091 pelo Santos.
- 11 vezes artilheiro do Campeonato Paulista.
- Por 3 vezes rompeu a barreira dos 100 gols em três temporadas.
- Melhor média de gols por partida: Em 1961 foram 111 gols em 75 jogos (1,48gols/jogo)



Pelé se despediu da seleção brasileira três anos antes de abandonar a equipe que defendeu por mais de 18 anos, o Santos Futebol Clube. O Rei do Futebol terminou sua carreira na seleção no histórico amistoso contra a Iugoslávia, em 18 de julho de 1971, em meio a histeria coletiva de uma nação que não saberia viver sem seu maior ídolo esportivo. Aos gritos de "Fica! Fica!", Pelé percorreria o Maracanã pela última vez com a camisa da seleção, balançando-a no ar encharcada de suor e lágrimas, num gesto de adeus.


Entretanto, apenas em 1974, na noite de 2 de outubro, o atleta do século deixaria a equipe da Vila Belmiro. A partida contra a Ponte Preta terminou com a vitória do Santos por 2 a 0, com gols de Cláudio Adão e Brecha. Mas a página da história seria escrita aos 21 minutos de jogo, quando Pelé se ajoelhou, inesperadamente, no centro do campo, abrindo os braços num gesto completo de quem reverenciava todos os torcedores do mundo.


O homem, que tornou o futebol uma arte, soluçava entre palavras de agradecimento. Os pedidos de perdão que escaparam de seus lábios transpareciam o sentimento de unidade que havia entre o esportista e o clube de seu coração. Pelé não apenas se despedia do Santos, desligava-se de uma extensão de sua alma. Só os corações dos torcedores santistas podiam compreender a amplitude dos gestos emocionados do Rei.


As palavras que o próprio Pelé escreveu para a apaixonada torcida santista transcrevem a sua grandeza interior:

"Minha Gente, Eu gostaria de agradecer, pessoalmente, a cada um de vocês, tudo o que me foi dado de carinho e incentivo durante os meus 18 anos de futebol.Tudo que procurei fazer foi dar o melhor de mim, para lhes proporcionar prazer e alegria. Se alguma vez lhes decepcionei perdoem-me. Eu também sou gente".


Pelé tinha, em acerto prévio com os dirigentes do clube, fechado contrato com o Cosmos, dos Estados Unidos, onde pretendia iniciar um trabalho pioneiro de divulgação do esporte naquele país. A transferência custou ao clube americano a inédita quantia de U$ 6 milhões, tendo sido a maior transação comercial no meio esportivo até então. Abandonaria definitivamente o futebol no primeiro dia de outubro de 1977.

Edson Arantes do Nascimento deixa para a eternidade o Mito Pelé, a história de um ser que provavelmente determinou os limites máximos que um atleta de futebol pode chegar, deixando no imaginário do mundo, do povo brasileiro e, especialmente, da torcida santista as imagens de um verdadeiro gênio.

No dia 23/10/1940 surgiu o maior ídolo do futebol, talvez do esporte em geral, de todos os tempos, na mineira Três Corações, filho de Dondinho como era mais conhecido que também foi jogador de futebol e Maria Celeste acompanhou o nascimento de seu filho pródigo, do qual seria o primeiro treinador, motivado pelo amor ao esporte.
Fonte: blog  gloriososantosfc

sábado, 12 de maio de 2012

História Santos 100 anos!!!!

Santos: há um século prestando bons serviços à arte de jogar bola

Peixe de Pelé, Neymar, Robinho, Pepe, Coutinho, Ganso, Giovanni, dos quase 12 mil gols, completa 100 anos, mas com jeitão de menino


Um clube escolhido pelo destino para ser lar de um rei. Que nasceu predestinado a se tornar, em grande parte de sua história, a casa do “jogo bonito”. E que, agora, é centenário. O Santos Futebol Clube, que diz ter orgulho de carregar "a essência do futebol-arte", completa 100 anos neste dia 14 de abril de 2012. Com jeitão de menino.

Em 1912, três jovens esportistas de Santos, Francisco Raymundo Marques, Mário Ferraz de Campos e Argemiro de Souza Júnior, convocaram uma assembleia na sede do antigo Clube Concórdia para a criação de um time de futebol, que ainda era um esporte de elite na época. Antes de ser batizado com o nome da cidade, houve outras propostas: Concórdia, África, Brasil Atlético, entre outros.


Coube a Edmundo Jorge Araújo sugerir Santos Foot-Ball Club. Aclamado por unanimidade. Mas o Santos ainda não era o Peixe. Quando a equipe começou a disputar jogos contra as equipes da capital, os rivais chamavam os alvinegros de “peixeiros” e o time de “Peixe”. Era uma ofensa, que acabou assimilada e virou apelido oficial do clube.

E, como Peixe, o Alvinegro Praiano foi se consolidando como força aos poucos. Sempre com vocação ofensiva e apostando em jovens. Está no DNA do clube: gols e garotos. Em 5.588 jogos até agora, foram marcados 11.793. Nenhum outro clube de futebol do mundo marcou tantos gols. Um orgulho que ninguém mais tem.

O primeiro título de expressão viria em 1935. Antes, o Alvinegro encantava, goleava, mas ainda sucumbia ao poderio dos times da capital. Jogar o Campeonato Paulista era uma epopeia para o Santos. O deslocamento entre a Baixada Santista e a capital era difícil, feito por trem ou de carro, pelo tortuoso Caminho do Mar. A viagem, que hoje demora cerca de uma hora, na época tomava mais de cinco horas.

Por tudo isso, o título de 35 é considerado heroico, com vitória sobre o Corinthians, por 2 a 0, no Parque São Jorge. Após essa conquista, porém, vieram 20 longos anos de jejum. O Santos seguia fazendo muitos gols, revelando bons jogadores, mas não conseguia títulos. Até que veio o bicampeonato de 1955 e 1956. O Santos, ainda com torcida muito pequena, começava a ser grande. Ainda não havia Pelé, mas havia Zito, Pepe, Vasconcelos, entre outros, que prepararam terreno para o reinado do maior jogador que o mundo já viu.


Em 1956, desembarcou em Santos o menino Edson Arantes do Nascimento. Alguns treinos depois, já era considerado um fenônemo e logo entrou no time principal. Não saiu mais: de 56 a 74, 1.116 partidas, 1.091 gols e 21 títulos importantes (entre outros torneios menores). O garoto virou um mito: o Rei do Futebol.

Depois da saída de Pelé, anos complicados. Com exceção dos títulos estaduais de 1978 e 1984, os santistas sofreram demais. Viraram as “viúvas de Pelé”. Nada doía mais na alma alvinegra do que encarar uma dura realidade: sem o Rei, o Santos voltara a ser “comum”. Não era, no entanto. Nunca foi. Predestinado a ser protagonista, a formar craques, o Alvinegro ressurgiu na segunda metade da década de 90, quando começou a formar uma nova geração de jogadores brilhantes.
Robinho, Diego e companhia lideraram o Santos na conquista do Campeonato Brasileiro de 2002 e iniciaram um novo ciclo vitorioso da história, que já dura dez anos e hoje conta com um grupo de jogadores que só não têm mais títulos que a geração de Pelé. Neymar, protagonista dessa nova safra, é o maior santista depois do Rei, como um dia fora Robinho, provando que o Santos, com sua eterna renovação, nasceu para ser grande.


Resumo da História SANTASTCO!!!!!!!!!!! 


1912 a 1920  Nasce o maior e melhor clube de Futebol do Mundo!!!!!!!!

Incio... 1912 a 1920Escudo do União FC. Em 1915, o Santos, para jogar a Liga Santista, teve de adotar o nome União.

   
Fundado em 14 de abril de 1912 na sede do Clube Concórdia, o Santos Foot-Ball Clube fez sua primeira partida considerada oficial em 15 de setembro daquele ano. Vitória por 3 a 0 diante do Santos Athletic Club, atual Clube dos Ingleses.
No começo, as cores do Peixe eram azul, branco e dourado, em homenagem ao Concórdia. Mas, por conta do valor da confecção do fardamento tricolor (produzido na Inglaterra), decidiu-se pelo branco e preto. Na verdade, o Peixe nunca chegou a usar as três cores. Não demorou para o clube conquistar o seu primeiro título – 1913 – e erguer seu próprio estádio. Inicialmente o time atuava em campos espalhados pela cidade, mas passou a jogar em sua casa em 1916, já com o nome de Santos Futebol Clube, alterado na temporada anterior.

 Datas marcantes de 1912 a 1920


23/06/1912
Primeiro jogo-treino (não considerado oficial):
Santos 2 x 1 Thereza Team.
Gols de Anacleto Ferramenta e Geraule Ribeiro.
15/09/1912
Primeiro jogo oficial: Santos 3 x 0 Athletic Club (Clube dos Ingleses). O primeiro gol oficial da história do clube é marcado por Arnaldo Silveira.
1913
Campeão santista (invicto).
01/06/1913
Santos 1 x 8 Germânia. Primeira partida em uma competição – Liga Paulista de Futebol.
22/06/1913
Santos 6 x 3 Corinthians. Primeira vitória em uma competição – Liga Paulista de Futebol.
1914
Adolfo Millon Jr. é o primeiro santista convocado para a Seleção.
1915
Campeão Santista. A partir desse ano, o nome oficial passa a ser Santos Futebol Clube.
31/05/1916
Compra de terreno para construção da Vila Belmiro.
12/10/1916
Inauguração da praça de esportes da Vila Belmiro.
22/10/1916
Santos 2 x 1 Ypiranga – Primeiro jogo na Vila. Gols de Adolfo Millon Júnior e Jarbas.
09/03/1919
Santos FC 10 x 0 Ex-São Paulo Railway (atual Nacional) - Sétima maior goleada da história.
1919
Arnaldo Patusca Silveira é o primeiro santista a conquistar um título com a camisa da Seleção.

1921 a 1930  O ataque dos 100 gols !!!!!!!!

 

Usado desde 1925. É o mesmo desenho do atual, mas sem as estrelas, que simbolizam os dois títulos mundiais







 
Santos de 1928, em pé: Oswaldo, Júlio, Alfredo, Aristides, Athié e Amorim; agachados: Siriri, Camarão, Feitiço, Araken Patusca e Evangelista


De 1921 a 1926, o Santos fez campanhas fracas no Paulista, mas foi neste período que começou a se formar o ataque dos 100 gols. Com uma base composta principalmente por jogadores jovens, o time não conseguiu conquistar seu primeiro título estadual, mas se tornou recordista em média de gols marcados em uma única edição da competição: foram 100 em 16 jogos, com a impressionante média de 6,25 gols por jogo. A incrível linha de ataque era formada por Araken Patusca, Siriri, Camarão, Feitiço e Evangelista.

Datas marcantes de 1921 a 1930

1925
O Santos entra em campo ao lado do Corinthians para encarar o combinado de Palestra Itália e Sírio. Resultado: derrota dos alvinegros por 3 a 2, com gol na prorrogação.
O Santos passa o usar o escudo nas camisas. É o mesmo que o atual, sem as estrelas.
21/03/1927
Santos FC 5 x CR Vasco da Gama 3 – Santos é convidado de honra na inauguração do Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro.
03/05/1927
Santos 12 x 1 Ypiranga – Maior goleada da história do Santos.
05/06/1927
Santos 11 x 2 Barra Funda – Quinta maior goleada do Santos.
03/07/1927
Santos 11 x 3 Americano – Sexta maior goleada do Santos.
16/09/1928
Santos 10 x 0 Portuguesa de Desportos – Sétima maior goleada do Santos.
1927
Por conta de erros da arbitragem, o Santos perde o Campeonato Paulista após derrota por 3 a 2 para o Palmeiras na partida final.
1927, 1928, 1929
O Santos é vice-campeão paulista e terceiro colocado em 1930.
Maio de 1927
A primeira grande excursão santista. Cinco partidas em gramados baianos. As partidas causam grande interesse em Santos, com a transmissão por alto-falante.

1931 a 1940  O campeão Paulista !!!!!!!!


                              
Cyro, Neves, Raul, Araken Patusca, Agustinho, Marteletti, Ferreira, Jango, Mário Pereira, Junqueira e Sacy.

A quantidade alta de gols marcados na década anterior continuou nos anos 30, e o time venceu o primeiro título importante da história. Em 1935, o Santos conquistou o Campeonato Paulista. Foi nesta década, também, que o profissionalismo chegou ao futebol brasileiro. Mesmo assim, o Peixe era constantemente prejudicado pela arbitragem, já que era de fora da capital.

Datas marcantes de 1931 a 1940

1930

Araken Patusca deixa o Santos por discordar de algumas decisões.

13/03/1933

Falece vítima de pneumonia em São Vicente Urbano Caldeira, jogador e patrono que doou sua vida ao clube.

1933

Santos 1 x 5 São Paulo da Floresta – Santos perde a primeira partida após a profissionalização do futebol.
A praça esportiva da Vila Belmiro passa a ser chamada de Estádio Urbano Caldeira, em homenagem ao ex-jogador e patrono.

1935

Araken Patusca retorna ao time depois de uma ausência de cinco anos.
Santos conquista pela primeira vez o Campeonato Paulista após vitória memorável sobre o Corinthians, no Parque São Jorge, por 2 a 0.
O clube passa a ser chamado de Peixe após responder a provocações de são-paulinos na Vila. “Peixeiro sim, com muita honra”, dizem os torcedores.

01/05/1935

Santos 3 x 3 Seleção de São Paulo – Resultado expressivo por se tratar de um adversário forte.

1937

Marca o começo de um período de dificuldades. Serão anos afastados dos títulos de relevância e de grandes vitórias.


1941 a 1950  Nada de Alegrias!!!!!!!!

Escudo usado num curto período nos anos 40.
                                                      Antoninho Fernandes, "o Arquiteto da Bola", é considerado um dos melhores que já vestiram a camisa santista
 
Depois de conquistar pela primeira vez o Campeonato Paulista, o Santos sofre nos anos 40. É a década mais dolorosa para a torcida, que não comemora um título sequer durante o período. É nessa época, porém, que o Peixe revela Antoninho Fernandes. Pouco lembrado atualmente, o jogador é considerado um dos melhores que já vestiram a camisa santista. Ele se torna treinador nos anos 60. A história mostra que o time é muito prejudicado durante nessa década, um dos motivos para não ser campeão.

Datas marcantes de 1941 a 1950

20/05/1941

Santos 10 x 3 Coritiba. Antoninho estreia no time em partida amistosa na Vila Belmiro.

16/11/1941

Santos FC 7×2 Hespanha FC (Santos)
O Santos marca sete gols nos 15 minutos finais e vira sobre o Hespanha.

1942

Sem títulos, a direção do Santos investe nas mudanças para que o time volte às conquistas. Muda o escudo, muda o uniforme, mas o time é o mesmo. Pouco tempo depois o escudo volta a ser o anterior.

1942

Excursão nordestina - Uma excursão para o Norte e Nordeste do país iniciada em novembro de 1946 e encerrada em fevereiro de 1947 marca o nome do time santista nessa região. O Santos vence 12 partidas e empata três.

1948

O Santos quase vence pela segunda vez o Campeonato Paulista. O sonho acaba após empate contestado diante do Ypiranga.

1951 a 1960  O Rei em sua casa !!!!!!!!



Pelé chega ao Santos em 1956
                                                              
A década de 50 é extremamente importante para a história do Santos. E não apenas por causa dos títulos. É nessa época que o Peixe passa a ser a casa do Rei. O maior jogador da história do futebol desembarca em Santos em 1956, levado por Waldemar de Brito. Mesmo aos 15 anos, o craque não demora a passar para o time principal e começar a chamar atenção. A década também marca o início dos títulos e excursões. Neste período, são 17 conquistas entre competições oficiais – como os Campeonatos Paulistas de 1955, 56, 58 e 60 – e festivais – Torneio de Valencia e Troféu de Gialorosso, por exemplo.

Datas marcantes de 1951 a 1960

1951

Torneio Quadrangular de Belo Horizonte
(Campeão invicto).

1952

Campeão do Torneio (FPF).

1952

Campeão da Taça Santos.

05/06/1954

Santos 3 × 2 Botafogo. Primeiro jogo sob o comando de Lula, treinador mais vitorioso do Santos.

1955

Campeão Paulista – segundo título estadual.

1956

Pelé chega ao Santos.

07/07/1956

Santos 7 x 1 Corinthians de Santo André.
Primeiro gol de Pelé pelo Santos.

1956

Campeão da Taça Gazeta Esportiva (24 jogos invicto) e Bicampeão paulista.

1958

Campeão paulista (com Pelé sendo artilheiro, com 58 gols).

19/11/1959

Santos FC 12 x 1 Ponte Preta – Maior goleada santista.

1959

Título do Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Rio-São Paulo) e conquista do Troféu Tereza Herrera e do Torneio de Valência. Peixe começa a ganhar o mundo.

1960

Conquista do 4º Torneio de Paris e do Paulista

1961 a 1970  a Era Pelé!!!!!!!!


                                   
Pelé se torna um personagem mítico

Após um fim de década de 50 repleto de títulos, o Santos chega ao ápice de sua história nos anos 60. Todos os títulos possíveis são conquistados. Estaduais, Taça Brasil (o Brasileirão da época) Libertadores, Mundial, Taça Brasil. Por onde passa, o time é reverenciado. Além disso, se Pelé se torna um personagem mítico. Em uma partida contra a seleção olímpica da Colômbia, em 1968, por exemplo, o craque é expulso de campo ainda no primeiro tempo. Minutos depois, o árbitro que havia aplicado o cartão vermelho apanha dentro do gramado e é tirado do comando da partida. Após isso, o Rei do Futebol é intimado a retornar ao confronto. Exemplo do que Pelé e o Santos são capazes.

Datas marcantes de 1961 a 1970

05/03/1961

Santos 3 x 1 Fluminense – Pelé marca o “gol mais bonito da história do Maracanã”. O primeiro de placa da história.

1962

Conquista da América - Santos vence o Penãrol nas finais – 2 a 1, 2 a 3 e 3 a 0.

11/10/1962

O mundo é alvinegro - Santos vence o Benfica, em Lisboa - 5 a 2.

1963

Bicampeão Sul-Americano Interclubes - Santos vence o Boca Juniors (ARG) – 3 a 2 e 2 a 1.

16/11/1963

Doce rotina. Peixe bicampeão mundial - Santos bate o Milan, no terceiro jogo da decisão, por 1 a 0, gol de Dalmo, no Maracanã.

21/11/1964

Santos 11 x 0 Botafogo-SP – Pelé marca oito gols nessa partida. Mais um recorde do Rei.

1969

Peixe conquista o tricampeonato paulista. Desde então, nenhum outro time consegue três estaduais seguidos em São Paulo.

1971 a 1980  os Meninos da Vila!!!!!!!!


                                                 
Pelé ajoelha-se e despede-se do seu público, em 1974
                                       Santos de 1979, os meninos da vila

Com o fim da carreira de Pelé e o desmanche do time multicampeão da década passada, o Santos inicia uma fase de vacas magras. Sem dinheiro e tentando se recuperar após a saída do Rei, a equipe passa a ser formada basicamente por garotos, conhecidos como Meninos da Vila. Com o time de jovens, o Peixe volta a conquistar o Campeonato Paulista em 1978 – a última vez havia sido em 73, ainda com Pelé. Sem o maior de todos os tempos, o Alvinegro passa a ser um time comum, com alguns lampejos.

Datas marcantes de 1971 a 1980

28/01/1971

Santos FC 4x1 SV Transvaal (SUR) – Pelé completa o seu milésimo jogo na carreira.

05/07/1972

Santos FC 4x2 Toronto Metros (CAN) – Pelé marca o milésimo gol com a camisa do Santos.

26/07/1973

O último título de Pelé pelo Santos tem um gosto amargo. O árbitro Armando Marques erra na contagem da disputa por pênaltis e declara o Peixe campeão sobre a Portuguesa antes da hora. Reconhecido o deslize, o título acaba dividido com a Lusa.

02/10/1974

Santos 2 x 0 Ponte Preta – Após 1.116 jogos e 1.091 gols, Pelé faz a sua última partida com a camisa do Santos.

1981 a 1990  vacas magras!!!!!!!!

Rodolfo Rodrigues jogou no Peixe nos anos 80
 
Serginho Chulapa em 1983

                                                                                                     
Sócrates estreia no Santos em 1988

Após o título paulista de 1984, o Santos entra numa fase de ostracismo. A conquista estadual sobre o Corinthians é um raro momento de brilho. Em seguida, ser santista passa a ser um sofrimento. Falta de dinheiro, jogadores medíocres e péssimas administrações afundam o clube. Os alvinegros viram alvo de piadas. Uma fase que dura 18 anos sem títulos importantes – só volta a levantar um troféu de expressão em 2002: o Brasileirão de Robinho.

Datas marcantes de 1981 a 1990

 

1983

Chegam à Vila Serginho Chulapa, Zé Sérgio e Paulo Isidoro, trio fundamental no título de 84.
Com um time competitivo novamente, Santos perde a final do Campeonato Brasileiro para o Flamengo de Zico.
Serginho Chulapa é o artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 22 gols.

1984

Goleiro uruguaio Rodolfo Rodríguez é contratado.
O Santos vence o Campeonato Paulista. Depois deste título, jejum de 18 anos.

1986

Santos forma um time repleto de jogadores “durões”, como Dunga, Serginho Chulapa e De León, para voltar às vitórias. Não dá certo.

06/03/1986

Morre Modesto Roma, um dos maiores presidentes da história do Santos.

29/11/1988

Santos FC 4x2 CA Cerro (URU) – Estreia de Sócrates com a camisa do Santos. Santista na infância, o “Doutor” realizava o seu sonho.

1991 a 2000  Voltando a ser Santastico!!!!!!!!





A fase do Santos no início da década de 90 segue complicada. O time continua com pouca qualidade e longe de conquistar títulos. As coisas começam a melhorar em 1995. Com o maestro Giovanni comandando o ataque, o Peixe chega à decisão do Campeonato Brasileiro daquele ano. A torcida contesta o empate em 1 a 1 na segunda partida contra o Botafogo por conta de erros do árbitro Márcio Rezende de Freitas – jogo de ida acaba com vitória dos cariocas por 2 a 1. No fim da década, dois títulos que dão ânimo para a torcida: o Rio-São Paulo de 1997 e a Copa Conmebol do ano seguinte. Prenúncio de que coisas boas estão por vir.







Datas marcantes de 1991 a 2000

1991

Morre Athié Jorge Coury, presidente mais vitorioso da história do Santos.
Paulinho é o artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 15 gols.

1993

Guga é o artilheiro do Brasileiro, com 14 gols.

31/12/1994

O Santos acerta a contratação de Giovanni, um dos maiores ídolos do clube.

17/12/1995

Santos contesta empate com o Botafogo que deixa o título do Campeonato Brasileiro com os cariocas. Márcio Rezende de Freitas, árbitro da partida, passa a ser odiado por alvinegros.

1996

Giovanni, artilheiro do Paulistão com 24 gols, deixa a Vila é negociado com o Barcelona.

05/02/1997

Santos vence o Flamengo na final e se sagra campeão do torneio Rio-São Paulo. Título que serve de alento, mas ainda não é o suficiente para encerrar a "fila".

1998

Viola é o artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 21 gols.

21/10/1998

Contra o Rosário Central-ARG, o Santos vence a Copa Conmebol. Um título considerado “menor”, mas bastante comemorado pelos santistas, carentes de conquistas na ocasião.


2001 a 2012  Voltando ao Topo o melho das Américas!!!!!!!!


A melhor fase do Santos após a era Pelé. Apostando novamente na garotada, o time volta ao patamar de grande no Brasil. Em 2002, a segunda fase dos Meninos da Vila, com Robinho e Diego. Alguns anos depois, astros como Ganso e Neymar. Com tudo isso, o Peixe ganha novamente destaque fora do Brasil e se torna referência em vários quesitos. O marketing, por exemplo, consegue segurar o craque Neymar no Brasil mesmo com propostas praticamente irrecusáveis do futebol europeu.

Datas marcantes de 2000 a 2012

15/12/2002

O fim da agonia. Com uma vitória por 3 a 2 sobre o Corinthians, o Peixe volta ao topo do futebol brasileiro. Robinho, com suas cruéis pedaladas sobre Rogério, lateral corintiano, resgata a honra e o orgulho santistas. O Peixe era protagonista novamente.

2004

Após voltar ao topo em 2002, o Santos conquista pela segunda vez o Brasileirão. Dessa vez, a disputa é em pontos corridos.

2006 e 2007

Santos é bicampeão paulista. Ambos nos pontos corridos.

17/02/2008

Santos 1 x 2 Rio Preto – Ganso estreia pelo time profissional do Santos.

07/03/2009

Santos 2 x 1 Oeste – Com 17 anos, Neymar estreia pelo time profissional do Santos.

15/03/2009

Santos 3 x 0 Mogi Mirim – Neymar marca seu primeiro gol como profissional santista.

2009

Santos perde a final do Campeonato Paulista para o Corinthians.

2010

Com Ganso chamando a responsabilidade na final contra o Santo André, Santos vence e é campeão paulista. É o primeiro título da geração Neymar.

04/08/2010

Mesmo com derrota para o Vitória, o Santos conquista a Copa do Brasil pela primeira vez.

2011

Diante do Corinthians, o Santos se torna novamente bicampeão paulista.

22/06/2011

Vitória por 2 a 1 sobre o Peñarol, no Pacaembu. Tricampeão da Libertadores.





Fonte: http://estatico.globoesporte.globo.com/santos-em-10-decadas/

terça-feira, 8 de maio de 2012

Bar Beverly Hills




Sabadão podemos dizer que foi fabuloso, fantástico, recomendamos a todos...


Não percam a oportunidade de ir a um barzinho incrível e já com alguns anos de estrada o Beverly Hills.




Muito legal mesmo fomos junto com a Drika nossa maninha do coração, o bar tem uma decoração única nas paredes pinturas e quadros que remete a Hollywood e algumas produções nacionais.

Tem um cardápio muito maneiro os pratos possuem nomes de filmes e estrelas do meio, não experimentamos muito ficamos na batata frita e no provolone a milanesa, mais da próxima vez iremos experimentar outras porções, não podemos deixar de elogiar o atendimento excelente.


Mais a noite valer a pena mesmo pelo show de Luiz França e Robson Nunes, os 3Tosterona. Hilariante não paramos de rir um só minuto, nossa que show de stand-up. O Robson fazendo um  rapper revoltado é o melhor kkkkkk.


Bem o negocio é ir lá e dar muitas risadas...



Importante faça reserva. A casa lota e é difícil entrar sem dar aquela ligadinha antes.


Endereço: Av. Jurucê, 1001 (esquina com a Al. dos Guaramomis) Moema -  São Paulo - SP
Telefone / Reservas:(11) 5054-3815 / 8111-4281 com Micheli
E-mail:contato@bhills.com.br





Robson valeu mesmo pelo show e pela simpatia, com certeza ieremos voltar mais vezes.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

o Dia Internacional do Sol





No dia 3 de Maio comemora-se o Dia Internacional do Sol com o objetivo de prestigiar a nossa principal fonte de vida, sendo a luz e o calor transmitidos pelo Sol fundamentais para a vida na Terra.





O Sol já foi considerado um Deus na religião de muitos povos da antiguidade, tamanha sua importância para o desenvolvimento da vida na Terra. Sem esta estrela não seria possível a sobrevivência de grande parte das espécies que hoje habitam nosso planeta.


O Sol Mito....

O Deus criador, com características de Deus cultural, é Viracocha, qualificado como Velho Homem dos Céus, Senhor e Mestre do mundo. Por ter criado a terra, os animais e os seres humanos e ser o possuidor de todas as coisas, os Incas adoravam-no sem oferece-lhe sacrifícios nem tributos

Para os egípcios o Sol era o deus Rá, conhecido também como Aton ou Amon. Representado pelo disco Solar. O Sol, em qualquer religião, sempre foi considerado o deus mais importante.

Para os gregos era representado pelo deus Hélios que tinha a função de trazer luz e calor aos homens. Ele percorria o céu num carro de fogo puxado por quatro cavalos brancos, soltando fogo por suas narinas.

Todas as manhãs, depois que a Aurora aparecia de madrugada no horizonte no seu carro dourado, Hélios saia do Oriente com seu carro e subia até o ponto mais alto do Meio-Dia. Então começava a descer para o Ocidente e mergulhava no oceano ou descansava atrás das montanhas. Foi-lhe dado de presente a ilha de Rhodes. Mais tarde, o deus Apolo, com outros atributos, um deles o dom da adivinhação, substituiu o deus Hélios. Porém, é do deus Hélios que derivou a palavra 'heliocêntrico', isto é, o sistema que concebia o Sol como o centro do Universo (precedeu o sistema geocêntrico, que tinha a Terra como o centro do Universo).


O Sol real...

O Sol é a estrela central do Sistema Solar e a luz e calor que emite é a principal fonte de energia da Terra. Esta energia do Sol que penetra na Terra na forma de luz solar é armazenada em glicose por organismos vivos através da fotossíntese, processo do qual, directa ou indirectamente, dependem todos os seres vivos que habitam nosso planeta.

Estudos científicos mostram que o Sol deve ter se formado há aproximadamente 5 bilhões de anos. Sua massa é cerca de 300 mil vezes maior à do planeta Terra. O diâmetro do Sol é de aproximadamente 1,4 milhões de quilômetros. A distância entre a Terra e o Sol é de aproximadamente 150 milhões de quilômetros. A temperatura média no núcleo do Sol chega a 15 milhões de graus Celsius. Nesta parte mais interior da estrela, ocorrem reações químicascomo, por exemplo, a fusão entre átomos de hidrogênio. Na fotosfera, superfície do Sol, originam-se a luz e o calor. Ainda compõe o Sol uma camada de gases que envolve a estrela.



O Sol poema...
Bom-dia sol!
Obrigada por ter vindo
por ter rasgado a neblina
para me fazer companhia.
Como você é belo!
Tem a beleza que eu queria ter
 parece que seus raios
tocam a face de Deus.
Um dia eu estarei com você
toda manhã, ao nascer
vou lhe falar dos meus sonhos
vou mostrá-los a você.
E será o meu amigo
meu amante e companheiro
desvendará o mundo comigo
será o meu melhor parceiro.

Esta cor tão singular
que nenhum pintor jamais copiou
é o que fez eu me apaixonar
e querê-lo cada vez mais.
Toda vez que o vejo nascer, como agora
é como se fosse a primeira vez
quisera segurá-lo, não deixá-lo ir embora
mas a liberdade é sua história.
Uma história igual à minha
que muitos tentaram desvendar,
mas fugiram apavorados
com medo de mim, e de você.
Por isso acabamos assim, nós dois
encontrando-nos de vez em quando
 eu me entregando às suas carícias
para sentir o seu calor na minha pele
do jeito que só você sabe...
do jeito que só você pode...

Tere Penhabe                        
Itanhaém, 24/08/2003            


O Sol em musica...
E se quiser saber
Pra onde eu vou
Pra onde tenha Sol
É pra lá que eu vou

Yeah! Han!
Caminho do Sol, eh!
Lá lararará!
Caminho do Sol, eh!

terça-feira, 1 de maio de 2012

Dia do Trabalho



Comemorado no dia 1º de maio, o Dia do Trabalho ou Dia do Trabalhador (será do trabalhador???) é uma data comemorativa usada para celebrar as conquistas dos trabalhadores ao longo da história.
 Milhares de trabalhadores protestavam contra as condições desumanas de trabalho e a enorme carga horária pela qual eram submetidos (13 horas diárias). A greve paralisou os Estados Unidos. No dia 3 de maio, houve vários confrontos dos manifestantes com a polícia. No dia seguinte, esses confrontos se intensificaram, resultando na morte de diversos manifestantes. As manifestações e os protestos realizados pelos trabalhadores ficaram conhecidos como a Revolta de Haymarket.

Em 20 de junho de 1889, em Paris, a central sindical chamada Segunda Internacional instituiu o mesmo dia das manifestações como data máxima dos trabalhadores organizados, para, assim, lutar pelas 8 horas de trabalho diário. Em 23 de abril de 1919, o senado francês ratificou a jornada de trabalho de 8 horas e proclamou o dia 1° de maio como feriado nacional.

Após a França estabelecer o Dia do Trabalho, a Rússia foi o primeiro país a adotar a data comemorativa, em 1920. No Brasil, a data foi consolidada em 1924 no governo de Artur Bernardes. Além disso, a partir do governo de Getúlio Vargas, as principais medidas de benefício ao trabalhador passaram a ser anunciadas nessa data. Atualmente, inúmeros países adotam o dia 1° de maio como o Dia do Trabalho, sendo considerado feriado em muitos deles.

Pois bem, então feliz dia do Trabalho....


e não confunda com o Dia do Trabalhador.



Com toda certeza, amanhã será outro dia: dois de maio...sim este sim é o dia do trabalhador como os outros 360 dias do ano inteiro.

 Agora, vamos trabalhar!!! Acabou a moleza...

outbrain